busca
| | |




Você está em
autor Lucas Motta
02/09/2010 07:50:53 - Atualizado em 02/09/2010 07:50:53 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Dívidas com o fco já podem ser renegociadas

Produtores de Mato Grosso a partir de hoje poderão renegociar a dívida do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) junto ao Banco do Brasil. O anúncio foi feito nessa terça-feira (31) após a reunião do Conselho Deliberativo do FCO (Condel). O Estado, que pode adquirir até 29% dos recursos de R$ 4 bilhões do FCO viabilizados para este ano, no valor de R$ 1,2 bilhão, apresenta alta inadimplência das parcelas que vencem em 2010.

Segundo o secretário de Desenvolvimento do Centro-Oeste, do Ministério da Integração Nacional, Carlos Henrique Menezes Sobral, com a procura dos produtores será possível levantar os dados de como está a inadimplência no Estado. "O banco irá avaliar caso a caso para apontar qual é a situação do FCO em Mato Grosso". Ele lembra que, do valor disponibilizado ao estado (R$ 1,2 bilhão) 40% já foi tomado pelo setor do agronegócio mato-grossense.

Conforme ele, os dados levantados serão apresentados na próxima reunião do Condel que será realizado no dia 22 de outubro deste ano, em Goiás. Ele ressalta que essa medida é a mesma adotada para a regularização dos produtores do Vale do São Francisco que requisitaram recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE).

O secretário de Desenvolvimento Rural do Estado de Mato Grosso (Seder) e membro do Condel, Jilson Francisco da Silva, adianta que a inadimplência atinge 50% dos produtores mato-grossenses. "A maioria são pequenos e médios produtores".

Ele ressalta que a situação vem se agravando devido as condições precárias de escoamento da produção e quanto a queda de preço da soja e do milho, por exemplo. Segundo Silva, a categoria pede além da renegociação a prorrogação do prazo de pagamento das parcelas que vencem neste ano.

A reunião, coordenada pelo Ministério da Integração, foi aberta pelo secretário de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), Pedro Nadaf, representando o governo do Estado.

fonte:A Gazeta


TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.