busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
22/07/2010 07:54:17 - Atualizado em 22/07/2010 07:54:17 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Consumo de etanol recua refletindo alta de preços

Com preços 20% mais altos do que em igual período do ano passado, o etanol hidratado, usado como combustível, vem perdendo espaço no tanque dos veículos brasileiros. De janeiro a maio, o consumo caiu 17% em comparação a igual período do ano passado e, apesar de a Agência Nacional de Petróleo (ANP) ainda não ter divulgado o dado de junho, a percepção do mercado é de que a demanda continuou inferior ao registrado em junho de 2009.

De acordo com a ANP, de janeiro a maio, as vendas de etanol hidratado somaram 5,3 bilhão de litros, ante os 6,4 bilhões de mesmo período do ano passado.

"Apenas o Estado de São Paulo deve ter mostrado desempenho diferente", diz Alísio Mendes Vaz, diretor do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), cujas associadas representam 60% do mercado de etanol do país. A entidade registrou em junho vendas de 767 milhões de litros de álcool, 6,8% menos do que os 823 milhões de litros comercializados em igual mês de 2009.

O comportamento desse mercado ao longo da safra que segue até abril de 2011, ainda gera dúvidas. Para julho, por exemplo, há previsão de números ainda modestos, pois os preços do álcool na usina voltaram a subir: começaram o mês a R$ 0,7383 o litro, sem impostos, e fecharam a semana de 12 e 16 de julho a R$ 0,8245, segundo o indicador Cepea/Esalq.

A boa remuneração para o açúcar - em reais, 25% maior do que em igual período do ano passado - ajuda a equilibrar o mercado de álcool que em 2009 ficou grande parte do ano abaixo do custo de produção nas usinas, que liquidaram produto para fazer caixa.

"O preço do etanol ao consumidor final ficou muito atrativo na época e provocou aumento nas vendas até em mercados onde o consumo é historicamente muito baixo, como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul", conta Vaz.

Mesmo como os preços mais altos limitando a competitividade do etanol diante da gasolina, Martinho Seiiti Ono, diretor da comercializadora de etanol SCA, acredita que neste ano-safra devem ser comercializados no mercado interno 24 milhões de litros de etanol hidratado, ante os 22 milhões de litros da temporada passada.

"A forte volatilidade nos preços em 2009 fez com que, na entressafra, a variação fosse muito intensa. Assim, durante três meses os preços estavam muito altos e o consumo retraiu-se. Neste ano, a tendência é de preço mais alto, no entanto, também mais estável", avalia Ono, da SCA, que movimenta por ano cerca de 5 bilhões de litros de etanol de 62 usinas associadas.

Além disso, afirma ele, a quebra de safra no Nordeste - consequência da estiagem e depois das chuvas - deve fazer com que a região, tradicional importadora de etanol do Centro-Sul, demande mais produto. "Eles importam do Centro-sul 900 milhões de litros, volume que nesta safra deve ser ampliado para 1,1 bilhão a 1,2 bilhão de litros", afirma.

A retração do consumo de etanol, obviamente, provocou migração para a gasolina, cujo consumo foi 22% maior entre janeiro e maio na comparação com igual intervalo de 2009 - de 10 bilhões de litros para 12,2 bilhões de litros. Em junho, o consumo de gasolina foi de 1,7 bilhão de litros, 12% mais do que os 1,5 bilhão do mesmo mês 2009, segundo o Sindicom.

 

 

Fonte: Valor Econômico - Fabiana Batista


TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.