busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
28/05/2010 09:50:07 - Atualizado em 28/05/2010 09:50:24 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Commodities agrícolas: Especulação sobre furacões nos EUA

Como acontece todos os anos, começou a especulação em torno dos possíveis danos que a tradicional temporada de furacões nos EUA poderá provocar nos pomares de laranja da Flórida. E como quase sempre acontece nesta fase que antecede a "hurricane season", que começa em junho, as cotações do suco começaram a ganhar uma sustentação adicional na bolsa de Nova York. Na quinta-feira, segundo a agência Dow Jones Newswires, os contratos com vencimento em julho encerraram a sessão negociados a US$ 1,4120 por libra-peso, alta de 160 pontos, enquanto setembro subiu 145 pontos e atingiram US$ 1,4220. Em São Paulo, a caixa de 40,8 quilos da laranja pêra saiu por R$ 13,16 (sem colheita ou frete) no mercado spot, segundo levantamento realizado pelo Cepea/Esalq.

Compras mais longas. Os preços do algodão terminaram em alta pelo terceiro dia consecutivo na bolsa de Nova York. Os contratos para outubro fecharam a quinta-feira a 78,57 centavos de dólar por libra-peso, alta de 42 pontos. Segundo a Dow Jones Newswires, muitos investidores venderam contratos com vencimento mais curtos para se posicionar de forma comprada em entregas mais distantes, tentando driblar o atual quadro econômico global. Analistas disseram que o sentimento do mercado é de que os fundamentos ainda são positivos e existe um aumento das importações e também da demanda indústria têxtil da China, que ainda encontra valores elevados para a pluma em seu mercado doméstico. No Brasil, o indicador Cepea/Esalq caiu 0,12%, para R$ 1,5257 por libra-peso.

Em recuperação. Os preços da soja fecharam em alta pelo segundo dia consecutivo na bolsa de Chicago. Os contratos com vencimento em agosto terminaram o pregão quinta-feira cotados a US$ 9,415 por bushel, ganho de 12 centavos de dólar em relação ao dia anterior. A alta nos preços do petróleo e das bolsas internacionais deram suporte para o mercado da soja. Analistas consultados pela Dow Jones Newswires disseram que além do apoio de outros mercados, os preços da soja voltaram a subir em um movimento de recuperação depois das recentes quedas registradas em Chicago. Investidores que apostaram na queda, correram para cobrir suas posições, o que incentivou os ganhos nesta quinta-feira. Em Rondonópolis (MT), a saca foi negociada a R$ 31,20, alta de 0,6%, segundo o Imea.

De novo em alta. O IqPR, índice de preços recebidos pelos produtores agropecuários de São Paulo pesquisado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) - vinculado à Secretaria de Agricultura do Estado -, encerrou a terceira quadrissemana de maio com alta de 5,30%, a terceira variação positiva consecutiva. A valorização foi determinada por um salto médio de 7,47% das cotações no grupo de 14 produtos de origem vegetal. O ganho médio foi puxado pelas valorizações de laranja para indústria (46,31%), feijão (34%) e amendoim (13,24%). O item que mais caiu foi novamente o tomate para mesa (30,33%). No grupo dos seis produtos de origem animal, houve perda médio de 0,08%, puxada por carne de frango (4,5%) e carne bovina (0,69%). Carne suína, leite e ovos subiram.

 

 

Fonte: Valor Econômico


TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.