busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
24/05/2010 15:24:35 - Atualizado em 24/05/2010 15:24:46 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Cotações da soja avançam em Chicago

 

As cotações da soja chegaram a atingir as máximas do mês durante as negociações em Chicago por conta de especulações de que está crescendo a demanda por produtos norte-americanos,  uma vez que os produtores no Brasil e na Argentina estão segurando suas produções.

Os exportadores norte-americanos venderam 478,462 mil toneladas durante a semana que se encerrou no dia 13 de maio, o dobro da média das quatro semanas anteriores, informou o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Do total, 60 mil toneladas foram vendidas para a China, que é o maior importador da oleaginosa do mundo.

No último dia 21, o USDA anunciou ainda uma venda adicional de 120 mil toneladas para a nação asiática, que devem ser entregues depois do início da colheita no dia 1º de setembro. Segundo o USDA, as vendas norte-americanas de soja de 1º de setembro a 13 de maio cresceram 14%, subindo de 33.523 milhões para 38.119 milhões de toneladas durante a temporada passada.
 
 “A crescente demanda pela soja dos Estados Unidos tem sido uma surpresa depois de a América do Sul ter colhido safras recordes. Há relatos de que alguns compradores estão mudando o destino das suas aquisições para os EUA por conta das vendas lentas das safras recém colhidas no Brasil e na Argentina”, disse Greg Grow, diretor de agronegócio da Archer Financial Services, de Chicago.

Juntos, Brasil e Argentina devem colher 122 milhões de toneladas este ano, safra 36% maior do que a do ano passado, que sofreu severas perdas por conta de uma seca que atingiu ambos os países.

Com informações da Bloomberg
Tradução: Carla Mendes


TAGS energia


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.