busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
12/05/2010 08:35:17 - Atualizado em 12/05/2010 08:36:04 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Propriedades de MT serão novamente auditadas pelo Mapa

MT tem 320 propriedades rurais habilitadas e outras 200 na fila de espera da certificação.
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) começa a reauditar, na próxima semana, as propriedades rurais de Mato Grosso enquadradas no Sistema de Rastreabilidade Bovina (Sisbov) e que já fazem parte da lista para exportar cortes bovinos aos países da União Européia (UE).
Segundo a coordenadora estadual do Sisbov, Patrícia Cristina Borges Dias, o trabalho de reauditagem começará pelas propriedades com sistema de confinamento, onde a movimentação de gado para abate e exportação é maior.
A Superintendência Regional do Mapa informou que Mato Grosso conta com uma lista de nove confinamentos - sem gado a pasto – nos municípios de Alto Garças, Barra do Garças, Campo Novo do Parecis, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Rondonópolis, Santo Antônio do Leste, Sinop e Tangará da Serra.
No ano passado, apenas uma propriedade, localizada no município de Campo Novo, chegou a abater 41 mil animais dentro do confinamento.
O Comitê Técnico da União Européia (UE) ampliou para 320 o número de propriedades mato-grossenses habilitadas a exportar carne bovina in natura para o mercado europeu dentro das normas da rastreabilidade. O número de animais existentes nessas propriedades não foi informado pelo Mapa. Patrícia Borges informou que existe ainda uma lista de mais 200 fazendas aguardando aprovação da União Européia.
As liberações ocorrem após auditorias realizadas nas fazendas pelos técnicos do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), que voltou a atuar na auditagem. O resultado do trabalho passa pela avaliação de uma comissão estadual do Sisbov e em seguida é encaminhada ao Mapa, em Brasília. Lá é feita uma nova avaliação para posterior envio da documentação à Comissão Veterinária da UE, que dá seu parecer final sobre a liberação e disponibiliza a nova lista em seu site.

Na prática - A auditoria nas propriedades dura em média dois dias e consiste, entre outras atividades, na análise de controles de rastreabilidade das fazendas, levantamento do número de animais e de brincos, manejo sanitário, insumos e, principalmente, identificação dos animais, confrontando as informações com o banco de dados do Sisbov. Este procedimento pode levar até 60 dias. O prazo médio para a liberação da propriedade, após a aprovação da auditagem, gira em torno de 20 a 30 dias até à publicação oficial pelo comitê europeu.
O produtor interessado em participar deste mercado deve adequar sua propriedade às normas da rastreabilidade e, em seguida, procurar uma certificadora e solicitar a vistoria. Por último, deve solicitar auditagem do Mapa visando habilitação para a União Européia. (Veja quadro ao lado)
Avanço – Patrícia Borges, que retornou recentemente de uma viagem ao Canadá – onde foi conhecer o sistema de rastreabilidade daquele país – constatou “avanço” do Sisbov. “O sistema canadense é muito bom, pois obrigou todas as propriedades a adotarem a rastreabilidade após a ocorrência da doença da vaca louca. No Brasil o sistema não é obrigatório, mas a rastreabilidade é melhor por permitir maior controle de movimentação do rebanho bovino, como a exigência da Guia de Trânsito Animal, que não existe no Canadá”, avalia. Ela informou que no Canadá as propriedades são menores, por meio de criação intensiva em função da deficiência na oferta de pastos.
Numa comparação com o sistema canadense, ela constata que a rastreabilidade brasileira é superior devido aos programas de defesa sanitária bastante avançados. “O nosso sistema, mesmo que voluntário, obriga a identificação individual de todos os animais da fazenda. Se a propriedade não estiver enquadrada ao Sisbov, ainda assim o governo brasileiro exige o GTA, que controla do trânsito de animais entre as propriedades”, frisou ela.


 
Fonte: Diário de Cuiabá


TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.