busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
19/04/2010 15:09:23 - Atualizado em 19/04/2010 16:13:26 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Plantio de dendê pode levar à monocultura

O incentivo à produção de dendê na agricultura familiar é visto com reservas por alguns técnicos especialistas em biodiesel no Brasil. Isso porque a planta não admite culturas consorciadas a partir do quinto ano de plantio, o que pode fazer da produção uma monocultura, não indicada para pequenos agricultores.

 "Nossa maior preocupação é fazer do agricultor um refém do dendê", afirma o técnico do programa de biodiesel da Petrobras, Humberto Guanaes. De acordo com ele, esta cultura é indicada para propriedades maiores.

 A engenheira agrônoma da EBDA, Emily Freitas, porém, acredita que é possível manter culturas consorciadas durante os três primeiros anos e não fazer do dendê o único produto da propriedade.

 "Além disso, não recomendamos que toda a propriedade seja utilizada para o dendê", disse. A saída, segundo ela, é adensar o plantio nas áreas onde já se produz a oleaginosa e plantar outras culturas típicas da região, como cacau, seringueira e cravo da índia como culturas consorciadas.

 Origem O dendezeiro é uma palmeira originária da costa oriental da África (Golfo da Guiné), sendo encontrada em povoamentos subespontâneos desde o Senegal até Angola.

 O óleo originário desta palmeira, o azeite de dendê, consumido há mais de 5 mil anos, foi introduzido no continente americano a partir do século XV, coincidindo com o início do tráfico de escravos entre a África e o Brasil. Atualmente, o azeite de dendê é o segundo óleo mais produzido e consumido no mundo, representado 18,49% do consumo mundial.

 A região Sudeste da Bahia possui uma diversidade climática excepcional para o cultivo do dendezeiro. No Brasil, há uma demanda reprimida de 500 mil toneladas de óleo de dendê, havendo importações de 100 a 150 mil toneladas. A importância econômica do dendê não se limita ao uso para alimentação.

 O fruto é empregado na fabricação de sabão, vela, graxas e lubrificantes, e na produção de gorduras vegetais e margarinas, além do uso recente para o biodiesel.

 

Fonte: A Tarde - BA


TAGS Milho


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.