busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
12/04/2010 15:10:52 - Atualizado em 12/04/2010 15:33:51 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Commodities Agrícolas

Compras especulativas. As cotações do açúcar na bolsa de Nova York encerraram a semana em alta. Os contratos com vencimento em julho fecharam a sexta-feira cotados a 16,76 por libra-peso, valorização de 44 pontos. Analistas consultados pela Dow Jones Newswires disseram que a alta foi resultado de um movimento técnico do mercado. O movimento de vendas que chegou a ser identificado ao longo do dia perdeu forças e uma séries de compras especulativas tiveram início. Aliado a esse fator, o governo do Paquistão anunciou que iniciará um processo de licitação para importação de 200 mil toneladas de açúcar, numa tentativa de estabilizar os preços internos e também levantar recursos. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq fechou a sexta-feira a R$ 67,9 por saca, queda de 0,49%.

Queda no curto prazo. Os preços do café voltaram a cair na bolsa de Nova York. Pelo quarto dia consecutivo as cotações e recuaram e levaram o mercado para o nível mais baixo das duas últimas semanas. Os contratos com vencimento em julho fecharam a sexta-feira valendo US$ 1,3450 por libra-peso, desvalorização de 195 pontos em comparação ao pregão anterior. Analistas ainda consideram que os fundamentos para o café no longo prazo são otimistas, segundo a Dow Jones Newswires. Diante da expectativa da entrada da safra brasileira no mercado, no entanto, o que deve começar a ocorrer a partir de maio ainda pressiona os preços no curto prazo. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq terminou a sexta-feira valendo R$ 279,08 por saca, queda de 0,31%.

Recuperação técnica. Depois de três quedas seguidas, os preços do suco de laranja voltaram a subir na bolsa de Nova York. Os contratos para julho terminaram a sexta-feira cotados a US$ 1,3185 por libra-peso, alta de 320 pontos. Analistas disseram que a recuperação foi atribuída a um movimento técnico do mercado depois de os preços terem atingido o patamar mais baixo em 17 semanas, segundo a Dow Jones Newswires. A reação ocorreu mesmo com o aumento de 600 mil caixas na estimativa de produção da Flórida, feita pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) na última sexta-feira. O novo número para a safra americana é de 131,6 milhões de caixas. No mercado interno, o preço médio de cinco dias da laranja pêra in natura foi de R$ 17,04 por caixa, alta de 0,95%, segundo o Cepea.

Mínima em sete meses. Os preços do algodão terminaram a semana passada no patamar mais baixo dos últimos sete meses. Os contratos para julho caíram 38 pontos no pregão da última sexta-feira e foram cotados a 79,50 por libra-peso. Segundo a Dow Jones Newswires, fundos mantiveram a estratégia de venda de algumas posições, o que acabou pressionando o mercado. Aliado a esse fator, a expectativa de aumento de produção nos Estados Unidos neste ano e as boas condições climáticas que são observadas nas regiões produtoras também contribuíram para a queda dos preços, apesar de o Departamento de Agricultura dos EUA tem elevado sua estimativa para o consumo mundial em 15%. No mercado interno, o indicador Cepea/Esalq subiu 0,22% para R$ 1,612 por libra-peso.

Fonte: Valor Econômico

 





TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.