busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
08/04/2010 11:56:46 - Atualizado em 08/04/2010 11:59:14 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Acordo acaba com barreiras sanitárias entre brasil e bolívia

\"\"Com a presença de autoridades dos governos federal e estadual, e representantes do setor pecuário do Brasil e da Bolívia foi assinado o protocolo que tem como objetivo iniciar as tratativas para se estabelecer intercâmbio comercial de bovinos entre os dois países. O documento foi elaborado durante o Fórum Brasil-Bolívia, realizado durante a 72ª Expogrande.
A proposta é uma iniciativa da diretoria da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) juntamente com Asocebu (Asociacion Boliviana de Criadores de Cebu) que veem grandes possibilidades comerciais caso as barreiras caiam. Atualmente, o Brasil não pode receber nenhum tipo bovino vindo da Bolívia, pois o status sanitário do rebanho de lá é inferior ao de Mato Grosso do Sul -área livre de aftosa com vacinação-, mesmo que no país vizinho não haja um caso da doença há mais de cinco anos.
“Esta é uma reunião muito simples, mas com um simbolismo muito forte. Tradicionalmente os pecuaristas da Bolívia compram gado da gente, então é hora de começarmos a discutir a questão sanitária entre os governos com a participação dos produtores”, defende Francisco Maia, presidente da Acrissul, e destacou que está muito satisfeito de receber a comitiva boliviana. “Estávamos cansados de ver vocês passarem de avião e irem direto para Minas Gerais fazer negócios”, brincou Maia.

Durante o Fórum, o clima era de que, se houver a disposição de ambos os lados, as questões sanitárias podem ser superadas. Um dos exemplos citados foi o das negociações para se importar embriões da Índia, que levaram mais de oito anos até que primeiro lote de embriões chegasse ao Brasil, no meio do ano passado.

O presidente da Asocebu, Ing Marcelo Estensorro, atentou para a seriedade com que os ruralistas brasileiros estão levando as tratativas para a queda das barreiras sanitárias. “Vemos aqui a presença de representantes dos governos”, disse se referindo a secretária Tereza Cristina Correa da Costa (Secretária Estadual de Produção e Turismo) e ao superintendente Orlando Baez (Superintendência Federal de Agricultura em MS). “Creio que esta reunião vai nos levar a um final feliz”, previu, lembrando da necessidade que a Bolívia tem de acessar o mercado brasileiro.
A secretária Tereza Cristina lembrou-se de quando a Acrissul propôs a internacionalização da Expogrande. Segundo disse, a primeira coisa que lhe veio à mente foi o estreitamento no relacionamento com os países vizinhos. Para ela é importante que se foque nos problemas para que sejam resolvidos da maneira mais rápida possível. “Não vejo nenhum impedimento para trabalharmos estreitamente com os irmãos bolivianos para que de maneira rápida essas questões sejam superadas. Em reunião com o ministro da agricultura, Reinhold Stephanes, ele me disse que pretende estabelecer um intercambio em genética com a Bolívia e que se estabeleçam políticas sanitárias em comum”, revelou.
O vice-presidente da Acrissul, Jonathan Pereira Barbosa, que foi quem conduziu os debates, manifestou sua opinião quando a situação que a Bolívia vive quanto a seu status sanitário. “Um país onde não tem ocorrência de febre aftosa há cinco anos não poderia ser discriminado dessa forma”.
Ao fim dos debates, foram escolhidos por aclamação os coordenadores dos trabalhos do Fórum dos dois países, Jorge Nuñes del Prado (presidente da comissão técnica da Asocebu) pela Bolívia e Jonathan Pereira Barbosa pelo Brasil. Eles serão responsáveis por dar continuidade aos trabalhos do Fórum indicando as ações que devem ser tomadas por ambas as partes. Orlando Baez se prontificou a encaminhar um resumo das exigências do Ministério da Agricultura, pecuária e Abastecimento, sobre os passos a serem seguidos pelo lado brasileiro.
A próxima reunião do Fórum Brasil-Bolívia: Intercâmbio Comercial de Bovinos será em setembro, na cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra, durante a realização da Expocruz.
Participaram da reunião de hoje as seguintes personalidades: a diretora presidente da Iagro, Maria Cristina Galvão Carrijo; o gerente geral da Asocebu, Javier Landivar; o presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Ruy Fachini Filho; o presidente da Nelore MS, Guilherme Bumlai e o presidente da ABCZ/MS, Adriano Garcia.
 
Fonte: Acrissul


TAGS seca no Pantanal


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.