busca
| | |




Você está em
autor Luiz Carlos
31/03/2010 11:12:15 - Atualizado em 31/03/2010 11:12:15 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

EUA está de olho nos mercados da China e do Japão

A China representa um potencial de US$ 100 bilhões para a carne bovina dos Estados Unidos, enquanto o mercado japonês pode aumentar em US$ 1 bilhão se for expandido o limite de idade do gado norte-americano aceito pelo país, disse o diretor executivo da Associação Nacional de Produtores de Carne Bovina dos Estados Unidos (NCBA, da sigla em inglês), Forrest Roberts, na Cúpula de Alimentos e Agricultura 2010 da Reuters em Chicago na semana passada.

Em 2009, China e Hong Kong juntos compraram cerca de US$ 85,5 milhões de carne bovina dos Estados Unidos, de acordo com a Federação de Exportações de Carnes do país (USMEF, sigla em inglês). As carnes suína e de frango são as mais consumidas da China, mas Roberts acha que a carne bovina tem chance de ganhar participação de mercado.

"Sentimos que temos uma infraestrutura nesse país que produz um produto muito eficiente de qualidade muito alta. Sentimos como se pudéssemos agregar valor, não somente adicionar proteína a sua dieta, mas também a um preço muito acessível".

A China seria um bom mercado para itens de carne bovina dos Estados Unidos, como trimmings, carne moída ou vísceras, como fígado e rins. No entanto, futuramente pode-se aumentar o mercado para steaks e filés, disse ele.

Os Estados Unidos vêm trabalhando para reconstruir as exportações de carne bovina desde 2003, quando um caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como doença da "vaca louca" foi registrado no país, gerando muitos embargos ao produto em todo o mundo.

O Japão, que já foi o principal comprador de carne bovina dos Estados Unidos, comprando US$ 1,4 bilhão em 2003, agora limita sua compra a carne de animais com menos de 20 meses de idade como precaução contra a EEB. Em 2009, o país comprou carne dos Estados Unidos no valor d US$ 470 milhões.

Se o Japão expandir esse limite de idade para 30 meses, poderia adicionar US$ 1 bilhão na receita da indústria de carne bovina, disse Roberts. Os Estados Unidos argumentam que o limite de 30 meses ainda manteria os consumidores protegidos contra a doença.

Fonte: TheBeefSite.com, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.


TAGS milho



Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.