busca
| | |




Você está em
autor Otavio Culler
27/04/2020 11:15:39 - Atualizado em 27/04/2020 11:15:39 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Economia

No maracujá, uma nova fonte de renda

Buscar a diversificação na propriedade é o desejo de vários produtores de Venâncio Aires.

Buscar a diversificação na propriedade é o desejo de vários produtores de Venâncio Aires. A ousadia e a coragem de arriscar e plantar produtos diferentes estão alinhadas aos objetivos da Emater, que oferece assistência e orientação aos agricultores. Em Picada Mariante, Erni Pereira, 58 anos, investe em um novo nicho de mercado. Com o objetivo de se reconectar com a natureza e trabalhar com algo mais leve e, ao mesmo tempo, prazeroso, Pereira iniciou em setembro de 2019 o plantio de maracujás.

Essa é a primeira safra na propriedade, mas que já anima o produtor, que enxerga um novo ramo de negócio. “Eu arrisquei. A gente não sabia se ia dar certo. Mas deu”, comemora. Pereira conta que o genro Márcio Faleiro, caminhoneiro, conheceu um produtor em Santa Catarina que parou de plantar tabaco para plantar maracujás. “Ele me trouxe uma caixa de frutos do maracujá gigante e semeei nas bandejas. Fiz minhas mudas da própria fruta.”

Plantas que ainda não completaram nem um ano, mas que alegram a família. “Já quero aumentar para o próximo ano. Isso aqui era uma terra de banhado, que não dava nada. Todos me chamavam de louco por deixar o fumo de lado e plantar maracujás, mas olha isso”, aponta, satisfeito para a videira.

Há um mês, o agricultor iniciou a colheita. São em média de 10 a 12 kg por dia. São cinco linhas, sendo que o número de pés de maracujá chega a 100. A comercialização está ocorrendo de forma direta, ou seja, os clientes estão batendo na porta de Pereira e garantindo suas frutas e ele passa nas casas dos vizinhos da localidade oferecendo os maracujás. “Estou colhendo de roupa limpa, de sapatinho, sem me judiar, não faz mal à minha saúde e faz um bem para a natureza. Sempre falo, tudo dá dinheiro e também tenho certeza que a natureza me agradece por plantar algo natural.”

Os cuidados do agricultor com as plantas são nítidos. Ele revela que o segredo para produzir bons maracujás é conversar com as plantas, transmitir paz e tranquilidade. No início da colheita ele plantou girassóis para chamar a Mamangava, uma abelha que aumenta o número de frutos nos maracujazeiros por meio da polinização.

Para salvar as plantas no período de seca, Pereira instalou uma bomba de água no açude e bombeia água para os pés de maracujá a cada dois dias. “Os cuidados são quase que nem da uva. No inverno ela perde as ramas, em setembro volta a brotação nova”, explica o produtor.

INVESTIMENTO

O plano de Pereira é ampliar e investir no maracujá. “Daqui a dois anos me aposento. Quero parar com o tabaco e plantar só maracujás, para ter uma renda e uma ocupação, algo que me faz feliz”, frisa.

Ao lado da esposa Renata, ele planta 40 mil pés de tabaco. “Faz mais de 40 anos que planto fumo e não sobra dinheiro para passar o ano tranquilo. Decidi arriscar em algo novo, diferente e que faz bem pra natureza também e para a minha saúde.”

Otimista, o produtor espera que as pessoas se interessem mais pela fruta e por produtos naturais e no próprio município possa existir uma agroindústria que faça o suco e a polpa das frutas para comercialização. “Isso teria muito mercado, poderia se fazer suco com várias frutas e comercializar”, salienta.

Emater aconselha que produtores observem o nicho de mercado

Iniciar uma produção nova na propriedade requer vencer barreiras e buscar aprendizados. De acordo com o chefe do escritório local da Emater, Vicente Fin, tudo o que o produtor pensa em diversificar tem lados positivos e negativos. “Tudo o que você pensa em diversificar tem aquela história. Tem um volume para ser atingido e que você consegue atingir no mercado local. No caso de pequena escala, as feiras, programas de alimentos podem ser um alívio, além da venda direta.”

Entretanto, Fin observa que quando o agricultor pensa em aumentar a produção e tirar o sustento daquilo precisa ter a garantia de um escoamento da produção com estabilidade de mercado. “Quase todos os produtos que não têm muito in loco, uma certa quantidade sempre se vai vender. O problema é quando tem que dar um volume maior, pois precisa de garantia de venda”, observa.

Mas para comercializar produtos diferentes no mercado local, Fin acentua que o negócio é extremamente aconselhável, pois são inúmeros benefícios e apelos locais como produtos quase que isentos de agrotóxicos, produção local e agricultura familiar. “Mas sempre reforço que qualquer aumento de produção precisa estar associado a um ponto de venda fixo. Precisa ser um negócio sustentável.”

Benefícios do maracujá

O maracujá é conhecido por ser rico em nutrientes e benefícios para a saúde. Confira alguns benefícios e dicas listadas pela nutricionista Luiza Christmann.

Ajuda a diminuir os níveis de ansiedade e tensão, muito comuns nos dias atuais.

O maracujá é considerado um calmante natural e possui um quadro nutricional grandioso em vitaminas A e C do complexo B que ajudam a turbinar o nosso sistema imunológico. Ainda atua no controle da pressão arterial.

A fruta é contraindicada em casos de pressão baixa pela ação sedativa, pois a pressão pode cair ainda mais.

Para receitas, pode-se utilizar toda a fruta, com a casca do maracujá para fazer farinha.

Existem inúmeras receitas com maracujá desde sucos, cremes e pratos salgados.

Receita de mousse de maracujá saudável da nutricionista: 200 ml de iogurte desnatado sem sabor; uma banana média congelada; polpa de um maracujá médio. Bata todos os ingredientes no liquidificador, caso achar necessário pode adoçar com açúcar mascavo. Depois, está pronto para servir. Receita rápida, fácil e super nutritiva.

FONTE: FOLHA DO MATE.


TAGS maracujá , uma nova , fonte , Renda , diversificação


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2020
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.