busca
| | |




Você está em
autor Daniel Rodrigues
27/06/2019 16:01:32 - Atualizado em 27/06/2019 16:01:32 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Economia

ARTIGO: Os robôs vão roubar nossos empregos?

 *Carlos Peres

Uma das maiores preocupações dos tempos atuais é se a tecnologia irá tomar nossos postos de trabalho. De fato, algumas perdas ocorrerão. A pesquisa recente da PwC "Will robots really steal our jobs?", que analisa o impacto da automação nos empregos até 2030, mostra que setores como os de serviços financeiros, transportes e construção serão uns dos mais afetados, com o advento, por exemplo, de veículos sem motorista e outros tipos de máquinas autônomas. Porém, dentre tantas discussões e análises, é importante refletirmos também sobre as oportunidades de um mercado cada vez mais robotizado.   

Esse mesmo estudo indicou possibilidades que merecem atenção, especialmente para aqueles profissionais que estão começando a construir suas carreiras agora. Um dos destaques é o setor de educação, em um contexto de sociedade mais idosa e rica – até 2023 o PIB (Produto Interno Bruto) global deve crescer US$ 15,7 trilhões (14%) graças à inteligência artificial, segundo a pesquisa Global de Inteligência Artificial da PwC. Há uma tendência de crescimento na procura por profissionais como professores e coachings, que ajudarão a guiar pessoas com a expectativa de vida cada vez mais alta, muitas querendo começar novas carreiras ou apenas estudar para conseguir realização pessoal na aposentadoria.  

A robótica proporcionará muitos empregos também. Algumas atividades vão se relacionar diretamente a essas novas tecnologias, em áreas como Tecnologia da Informação, Análise de Dados e Engenharias, que exigirão maior qualificação e consequentemente contarão com profissionais mais bem remunerados. Mas a maioria das novas vagas apenas resultará do aumento da produtividade, renda e riqueza que essas tecnologias trarão. Deverá ocorrer aumento da demanda por profissionais que prestam serviços pessoais, por exemplo, em limpeza, tarefas domésticas e reparos, personal trainers e também de plataformas digitais que fornecem esses serviços. 

Com os rendimentos e lucros mais elevados, o governo também deve se beneficiar do aumento da arrecadação de impostos. Essas receitas fiscais adicionais poderão financiar maiores investimentos em saúde, educação e infraestrutura. 

Por outro lado, caberá aos setores governamental e empresarial trabalharem juntos para garantir que o maior número possível de pessoas possa usufruir dos benefícios de uma sociedade mais automatizada, com programas de educação e incentivo para as pessoas de todas as idades se adaptarem às novas tecnologias.

 

 *Carlos Peres é sócio Sócio da PwC Brasil e líder da Região Sul


TAGS carlos peres , pwc brasil , artigo , e , mprego , Tecnologia


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2019
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.