busca
| | |




Você está em
autor Cristina Crispa
21/06/2018 10:17:30 - Atualizado em 21/06/2018 10:17:30 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Economia

Imposto de importação de vinho, alho e coco ralado

Foi aprovado pela Gecex a manutenção do imposto de importação do vinho, alho e coco ralado.

Atividades garantem 800 mil empregos e representam US$ 654milhões em importação.

Foi aprovada pelo Comitê Executivo Gestor (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex), na terça-feira (19), a manutenção do vinho, do alho e do coco ralado na Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum (Letec), o que viabiliza a manutenção das alíquotas de 27%, 35% e 55% de importação desses produtos, respectivamente. Sem o instrumento, o imposto cobrado para os vinhos seria de 20% e, do alho e do coco, de 10%.

Esses produtos representam importantes setores da agricultura brasileira com relevante desempenho na geração de renda e emprego em cinturões metropolitanos, no caso do alho, e, em outras regiões do país, como a Nordeste e a Sul, no caso do coco e do vinho, avalia o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do MAPA, Odilson Ribeiro e Silva.

A manutenção das alíquotas nesses patamares propicia a defesa de setores subsidiados em países de origem ou beneficiados, economicamente, por legislações menos exigentes do que a nacional, tanto do ponto de vista trabalhista como ambiental, de acordo com o secretário.

Ao todo, são mais de 800 mil empregos envolvidos nessas atividades volume financeiro de US$ 654 milhões em importações. “O MAPA continuará trabalhando para a defesa da agricultura e agroindústria nacionais e para a abertura comercial de forma prudente e contínua”, disse Odilson Ribeiro e Silva.

#imposto #importação #vinho #alho #cocoralado

FONTE: MAPA.


TAGS Imposto , Importação , vinho , alho , coco ralado


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2018
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.