busca
| | |




Você está em
autor Arthur Ribeiro
04/08/2020 16:06:42 - Atualizado em 04/08/2020 16:06:42 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Animais e Criações

Atenção fabricantes de ração

ASSUNTOS REGULATÓRIOS FOI TEMA DE WEBINAR POLINUTRI®

Pela segunda vez a Polinutri® reúne virtualmente fabricantes de alimentação animal para atualização sobre normas e regulamentações

São Paulo, 04 de agosto de 2020 –  Em 16 de julho a Polinutri®, empresa especializada em nutrição e saúde animal, realizou mais uma reunião com objetivo de manter clientes fabricantes de ração atualizados. Dando continuidade à linha de pensamento do primeiro encontro, o tema desta vez traçou “Análise de risco segundo atualização do MAPA: o que muda para a sua fábrica de ração?” apresentação que ficou à cargo do zootecnista e Consultor Técnico de Ruminantes Polinutri®, Osvaldo Gil.

“Nesta segunda etapa de palestras on-line destacamos a IN 27. Isso porque a normativa foi recentemente implementada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e como parte integrante do elo da indústria de alimentação animal na qualidade de fornecedores de insumos para os nossos clientes –  fabricantes de ração – devemos municia-los com informações pertinentes e que regem sobremaneira seus negócios”, inicia Osvaldo Gil.

Durante a palestra o profissional expôs para os presentes a ótica do MAPA sobre a análise de risco. “Foi importante apresentar como o órgão regulador enxerga os riscos dentro de uma fábrica ao produzir sua ração”, destaca.  Isso porque, informa Osvaldo, no passado a abordagem era baseada em auditorias in loco por meio de um check list. “O MAPA passou por uma grande modernização e hoje o modelo adotado é outro check list baseado na análise de risco”, completa. 

Neste sentido, sua apresentação abordou “Risco intrínseco” e “Risco Regulatório”. Osvaldo destacou que o primeiro está relacionado ao produto e processo de fabricação. “O Risco Intrínseco é composto por seis variáveis: volume de produção, categorias de produtos, se a fábrica produz rações apenas para animais de estimação ou de produção, espécies de animais, uso de melhoradores de desempenho e, por fim, uso de medicamentos”, pontua e alerta que cada item tem seu peso. “Quando falamos de volume de produção, quanto mais ração a fábrica produz, maior será o risco. Já na categoria de produtos a abordagem se dá para quanto mais produtos diferentes entre si uma fábrica produzir, maior será o risco”, exemplifica.

Ele salienta que cada uma das seis variáveis tem seu peso e a soma desses pesos preconiza o Risco Intrínseco. “Quando somamos eles e o Risco Regulatório – normas relacionadas as legislações, normativas e decretos – temos o Risco do Estabelecimento, o da fábrica propriamente dita”, destaca.

Osvaldo, profissional que está na empresa há 17 anos, salienta que este tipo de ação demonstra o compromisso Polinutri® junto aos seus clientes. “Mantemos distância neste período, mas estamos perto de cada um deles levando produtos, programas e serviços de ponta, pois sabemos que somente juntos vamos mais longe.”

Sobre a Polinutri – Fundada em 1989 a empresa atua no desenvolvimento, na produção e comercialização de soluções e produtos para a nutrição e saúde animal. Conta com três unidades industriais – Treze Tílias (SC), Euzébio (CE) e Maringá (PR) –, dois Centros de Distribuição (CDs) – Lavras (MG) e Lajedo (PE) – e sede administrativa em São Paulo (SP). Aliado a isso conta com um laboratório próprio em Maringá (PR) reconhecido e atestado pela FAO, Embrapa e Rommer Labs. Atualmente a empresa atende os mercados de ração acabada, premix e núcleos para a áreas de bovinocultura de corte e leite, suinocultura, avicultura de corte e postura, carcinicultura, piscicultura, peixes ornamentais e pets.


TAGS fábricas de ração , ração , Instrução Normativa , Mapa


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2020
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.