busca
| | |




Você está em
autor Thainara Gomes
07/11/2016 17:54:20 - Atualizado em 07/11/2016 17:58:36 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Informações Artigos técnicos

melhoramento genético em gado de corte

A maior rentabilidade da atividade pecuária está na aplicação de tecnologias de alto resultado com baixo custo, e entre estas tecnologias o melhoramento genético figura como uma das principais, e o segredo está no estabelecimento de um Plano de Melhoramento Genético do rebanho de cada propriedade.

 

1. Princípios básicos do melhoramento genético

  O princípio básico do melhoramento genético animal é a exploração das diferenças genéticas existentes entre animais dentro de uma população. Isto gera a variação, que é a matéria-prima que o produtor pode utilizar para mudar a estrutura genética da população.

         Assim, por exemplo, as diferenças existentes no peso aos 365 dias de idade, são resultantes de diferenças ambientais entre os animais e de diferenças genéticas entre os mesmos.

         As diferenças ambientais incluem diferenças devidas ao mês de nascimento (seca ou chuva), idade das vacas mães, sexo, manejo e nutrição.

         Ao contrário, as diferenças genéticas permitem, por métodos de seleção adequados, escolher indivíduos portadores de “cargas genéticas” superiores, as quais serão repassadas aos seus descendentes.

 2. Importância na Seleção

   A seleção feita pelo homem representa a adição de novos gens relacionados à habilidade animal em servir as necessidades humanas, aos padrões naturais de habilidade para sobreviver e reproduzir. A maioria das características econômicas que interessam ao produtor são quantitativas e passíveis de medição.

        O que significa dizer que a Seleção é uma ferramenta que o produtor deve lançar mão para conseguir uma melhor produção de novilhos precoces.

       Os principais métodos de seleção são: aseleção pelo valor fenotípico individual, seleção pelo desempenho, seleção pela família, seleção pelo pedigree e a seleção pela progênie.

          As principais características que o produtor deve considerar na seleção de gado de corte são: ganho em peso no período de aleitamento, ganho em peso no período pós-desmama, conversão alimentar, precocidade reprodutiva, habilidade materna, adaptabilidade, características de carcaça, ausência de defeitos hereditários, temperamento, longevidade produtiva e tipo de conformação morfológica.

 3. Sistemas de acasalamentos

  Após a seleção, na qual o produtor deve aumentar a freqüência dos genes desejáveis, deve ser escolhido o sistema de acasalamento, para aumentar a freqüência dos genótipos desejáveis. A escolha do sistema de acasalamento depende dos objetivos de cada criador.

  O sistema de acasalamento pode ser Endogâmico, com indivíduos de certo grau de parentesco, utilizado no melhoramento genético de uma mesma raça, ou Exogâmico, com indivíduos pouco aparentados entre si, utilizado no melhoramento genético de rebanhos através do cruzamento entre raças.

 4. Melhoramento genético através do cruzamento entre raças

  O zebu brasileiro é sem dúvida um dos maiores patrimônios genéticos existentes no mundo como base da produção de carne em ambientes tropicais. E a intensificação nos processos de melhoramento genético do zebu brasileiro nas características específicas voltadas à produção de carne, certamente contribuirão para um importante incremento da produção de novilhos precoces no Brasil.

No entanto, há que se considerar que o incremento na produção proporcionado pelo melhoramento genético das raças zebuínas brasileiras ainda demandará muitos anos de trabalho intenso.

Neste sentido o produtor pode utilizar o melhoramento genético através do cruzamento de raças, como uma técnica viável economicamente e de resultados práticos rápidos que podem ser medidos já na próxima geração. Considerando as características da pecuária de corte no Brasil, o produtor brasileiro pode utilizar a técnica, através do cruzamento de espécies diferentes que são o Bos Indicus (Zebu) e o Bos taurus (Europeu), visando a maximização destes resultados.

 Este resultado imediato e comprovadamente superior se explica pela manifestação de um fenômeno biológico que se chama "heterose" ou “vigor híbrido”, um importante recurso de produção de carne com maior eficiência, pois melhora significativamente características como ganho de peso, precocidade sexual, precocidade de terminação e qualidade de carcaça, elementos fundamentais à produção de um moderno novilho precoce que atenda à todas as exigências do mercado atual. 

 Além do vigor híbrido, o cruzamento oferece outra vantagem ainda mais interessante: as raças escolhidas podem ser acasaladas de modo dirigido para se complementarem, sendo melhores aproveitadas as características desejáveis de cada raça. Embora os efeitos do vigor híbrido e complementação possam ser pequenos para uma característica em particular, o efeito cumulativo total é da maior importância econômica quando avaliado como acréscimo na produção do rebanho.

  Na avaliação das estratégias mais adequadas de utilização dos recursos genéticos, para a produção de carne bovina de qualidade no Brasil – entre as quais o cruzamento entre as raças tem muito a contribuir – os principais componentes do ciclo produtivo na pecuária de corte (reprodução, produção e produto), devem ser considerados em conjunto. Uma implicação importante desses resultados para o Brasil, é a necessidade do uso de diferentes grupos genéticos e sistemas de produção, para o atendimento dos diferentes mercados consumidores.

5. Melhoramento genético através da Inseminação Artificial

  O melhoramento genético realizado em um rebanho de raça pura, tanto em rebanhos de corte ou de leite, simplesmente não terá sucesso sem a ampla utilização da inseminação artificial, que proporcionará ao criador um acesso econômico à genética dos melhores reprodutores de qualidade comprovada disponíveis na raça, quer seja no Brasil ou no exterior.

 O melhoramento genético voltado à produção do novilho precoce tem na Inseminação Artificial um importante aliado proporcionando um forte impacto na próxima geração com a produção e padronização de animais precoces de elevada qualidade de carcaça.

 

A Inseminação Artificial é uma técnica consolidada em todo o mundo, sendo uma das mais importantes ferramentas para obtenção do Melhoramento Genético nos rebanhos. As principais vantagens que a técnica oferece são:

 - Melhoramento Genético :

  A inseminação artificial proporciona um melhoramento efetivo do rebanho em menor tempo e a um custo proporcionalmente mais baixo, através da utilização da genética de reprodutores comprovadamente provados e superiores para a produção de leite e carne.

  - Controle de doenças:

  Pela monta natural, freqüentemente o touro pode transmitir às vacas algumas doenças e vice-versa, o que pelo processo da inseminação artificial não ocorre, desde que o sêmen seja de qualidade comprovada (como o das Centrais filiadas à ASBIA).

 - Cruzamento entre raças:

  A inseminação artificial permite ao criador a utilização da genética de reprodutores provados para a produção de carne das mais diferentes raças em qualquer ambiente de criação, sem a necessidade de cuidados especiais para a utilização destes reprodutores.

 - Aumento do número de descendentes de um reprodutor de comprovada qualidade:

 Sabe-se que um touro pode cobrir anualmente, à campo, cerca de 25 à 30 vacas. Em regime de monta controlada pode servir até cerca de 100 fêmeas, anualmente. Isso significa que, considerando 5 anos a vida reprodutiva de um touro, teremos no máximo cerca de 400 filhos por animal, durante sua vida. Com a inseminação esse número é extraordinariamente aumentado, podendo um reprodutor ter mais de 100.000 filhos. Assim, fica fácil entender como a inseminação favorece o melhoramento do rebanho, pois esses touros superiores estarão sendo usados em vários rebanhos, no próprio país e mesmo no exterior com grande número de filhos nascidos.

 - Controle da eficiência dos animais e na melhoria na gestão do rebanho:

 

Através da Inseminação artificial e da utilização das diversas formas de controle resultantes do processo, é possível a obtenção de dados precisos de fecundação e parto, facilitando a seleção das melhores fêmeas do rebanho. Além de possibilitar uma melhor gestão e facilitar a implantação de processos de rastreabilidade do rebanho.

 - Padronização do rebanho comercial:

  Através da Inseminação Artificial e utilizando-se poucos reprodutores em um grande número de vacas obtém-se homogeneidade dos lotes, fator de extrema importância comercial.

 - Redução da dificuldade de parto:

  Através da utilização de touros provados, com avaliação genética confiável para características de facilidade de parto, pode-se reduzir sensivelmente os problemas de partos em novilhas.


TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2017
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.