busca
| | |




Você está em
autor Luiz
27/01/2010 22:20:49 - Atualizado em 27/01/2010 22:20:49 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

Rondônia também mira exportações para a china

Na manhã da última segunda-feira (25), a Idaron recebeu mais uma boa notícia. A partir desta data, Rondônia e outros 15 estados brasileiros, junto com o Distrito Federal, têm condições de exportar carne bovina para a China. As aquisições do produto destas regiões foram restringidas, em 2005, após a descoberta de focos de Febre Aftosa em Mato Grosso do Sul.

O presidente da instituição comemorou a novidade. "Mais uma vez o estado fez a parte dele e deixou o rebanho em condições de exportar o gado daqui para a China. Esta já é mais uma vitória que Rondônia consegue. A primeira foi quando o Chile, um dos países mais exigentes do mundo, autorizou a comercialização dos derivados bovinos do estado", disse Augustinho Pastore.

Além de Rondônia, os estados do Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Sergipe, Tocantins, Minas Gerais e o Distrito Federal foram reconhecidos como livres da doença. Porém, no caso do Pará, o reconhecimento se aplica apenas ao sul do estado. Nos casos de Mato Grosso do Sul e Bahia, o reconhecimento não inclui as áreas, nesses estados, que são consideradas de monitoramento e isolamento.

De acordo com informações oficiais, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) foi comunicado pela embaixada do Brasil em Pequim, por meio de um documento assinado pelo embaixador Cláudio Hugueney, sobre o reconhecimento pelas autoridades chinesas destes estados como áreas livres de aftosa, segundo os critérios da OIE.

Para retomar as exportações para a China, os frigoríficos interessados têm que ser aprovados individualmente pela Administração Nacional de Certificação e Acreditação daquele país (CNCA), após apresentarem um conjunto de informações técnicas e documentos. Os papéis devem ser encaminhados ao Ministério da Agricultura brasileiro, que após análise, irá enviar as informações à CNCA. Se os documentos forem satisfatórios, o estabelecimento pode ser credenciado imediatamente ou ainda passar por uma inspeção das autoridades sanitárias chinesas.

Segundo Augustinho Pastore, este é mais um passo importante a ser dado pelas plantas frigoríficas rondonienses. "Agora, é incentivar as indústrias a tentar se habilitar para exportar carne bovina para a China. Garanto que se a população chinesa consumir o produto de Rondônia, teremos um excelente crescimento na agropecuária do Estado", destacou ele.

De acordo com a embaixada do Brasil em Pequim, o reconhecimento foi considerado importante, devido à elevação do padrão de vida da população chinesa e o rápido crescimento do consumo de carne bovina.

Fonte: Governo do Estado de Rondônia


TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2016
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.