busca
| | |




Você está em
autor Selmos
13/12/2009 22:36:27 - Atualizado em 13/12/2009 22:54:45 cadastre sua notícia/anúncio grátis

Notícias Notícia

A mentira sobre o aquecimento global

\"AquecimentoO presente artigo foi escrito recentemente no blog do Reinaldo Azevedo e retrata ponto de vista polêmico em relação às questões climáticas que tanto preocupam o mundo e que podem afetar o agronegócio Brasileiro.

No livro O País dos Petralhas, há uma série de textos, extraídos deste blog, que trata dessa estranha religião do Aquecimento Global dos Santos dos Últimos Dias. Neste momento, em Copenhague, reza-se o que me parece ser a última missa sobre o assunto. Estão todos lá, inclusive o atual e o futuro presidentes do Brasil. Refiro-me, é óbvio, a Lula, José Serra e Dilma Rousseff. Todos convertidos à nova religião — estes três, é verdade, por puro pragmatismo: pobre daquele que não se disser e não se mostrar, efetivamente, um devoto dessa causa. Exige-se do governante que seja laico — menos nessa matéria.

Os que me criticam têm razão num aspecto: eu não entendo nada sobre assunto. Mas, na maioria das vezes, os que me atacam também não entendem. Mas sei muito bem como se formam os discursos e sei analisar a sua gênese. Nesse caso, modéstia às favas, estou entre os mais preparados. Fala-se abertamente a linguagem do terror — e a linguagem do terror é, sempre, essencialmente mentirosa.

A mentira se espalha em escala mundial. Há dias, uma jornalista brasileira mandava ver lá do Pólo Norte: “O derretimento das geleiras PROVA que o aquecimento global é provocado pelo homem”. É MENTIRA! Nem os especialistas em clima mais apocalípticos assinam essa declaração. No máximo, chegam a um “muito provável”. E há gente competente, também especialista, que nega, com argumentação igualmente científica, a hipótese antropogênica para o que se chama aquecimento global. Mas está impedida de falar.

A vigarice é de tal ordem, que as mentiras reveladas pelos e-mails dos especialistas de East Anglia foram varridas para debaixo do tapete. Preferiu-se acusar uma espécie de conspiração dos céticos. É tal a avalanche de informações, é tal o consenso que se formou — especialmente entre os leigos, que entendem de aquecimento global ou que eu entendo: NADA!!! —, que as vozes científicas que negam a teoria são logo lançadas ao ridículo.

Quem compareceu a Copenhague para anunciar o apocalipse? George Soros, este grande humanista, com sólida formação em clima… Com os diabos! Até quando este senhor se ocupava apenas, para o seu próprio bem — e também da humanidade —, em ganhar dinheiro, era o demônio de plantão. Agora, ele decidiu que também quer ser bom. E propõe um modelo de alguns bilhões de dólares por ano para conter o aquecimento. Ora, não é preciso ser muito sagaz para saber que, estivesse negando a tese politicamente correta, logo iriam investigar quais seriam os seus compromissos com o aquecimento; como ele fala o que o onguismo mundial quer ouvir, ninguém se preocupa em saber quanto essa benemerência rende a Soros.

NÃO! EU NÃO CONFIO NOS BONS PROPÓSITOS DE SOROS! EU NÃO CONFIO NOS BONS PROPÓSITOS DE NINGUÉM COMO ELE. MAS ATENÇÃO! EU NÃO CONFIO PORQUE ACHO QUE A TAREFA HUMANITÁRIA DE GENTE ASSIM É FAZER DINHEIRO GERAR MAIS DINHEIRO, O QUE É BOM PARA A CIVILIZAÇÃO! CRETINOS DO MIOLO MOLE É QUE CONSIDERAM QUE ELE SÓ PASSA A SER UM HOMEM RESPEITÁVEL SE FIZER POESIA SOBRE URSOS BRANCOS CANIBAIS…

E Soros descobriu que esse negócio de aquecimento global é bom para o seu caixa e também para a sua reputação. E o mesmo vale para o Brasil. O glorioso capitalismo, como sempre, já se apropriou também dessa demanda. Só que, por enquanto, enriquece vigaristas, que se lançaram no rentável ramo da “consultoria ambiental”. Gente que, até anteontem, assessorava empresas e políticos agora aparece agarrada a tronco de árvores , macaco-prego e ursos polares. A dar crédito ao que dizem alguns cretinos, vamos sacrificar os bois e, sei lá, viver de luz. Arroto de ser humano que coma capim também esquenta o planeta? E o pum?

Essa patacoada não resiste a uma análise de discurso. No que concerne à ciência, pode-se dizer que a questão é, quanto menos, controversa. O problema é que aqueles que dissentem são tratados como excêntricos,  malucos ou idiotas.

“Veja bem, Reinaldo, se toda essa histeria servir para poluir menos o planeta, tanto melhor…” Claro! Tanto melhor! E poluir menos sem histeria? A questão é saber quais exigências serão feitas. Barack Obama, por exemplo, já percebeu que esse troço é bom para ganhar eleição, mas péssimo para governar. Aplicar o que lhe pedem — e o que, até certo ponto, ele prometeu ao menos simbolicamente — corresponderia a paralisar a economia dos EUA, enquanto a China, na condição de “emergente”, poderia produzir um pouco de carbono a mais… A questão virou um braço-de-ferro entre ricos e emergentes. De resto, desde quando a China cumpre copromissos?

Olhem aqui: há dados sólidos indicando que pode — sempre no mundo das hipóteses — estar havendo é um resfriamento do planeta. Mesmo as geleiras que derretem para as câmeras são, literalmente, um ângulo da questão — porque há ângulos em que elas crescem… Ah, sejamos todos contra a poluição, contra à agressão à natureza e contra todas as outras coisas más que há no mundo. Mas é preciso tomar cuidado com a histeria.

Enquanto cientistas não menos respeitáveis do que os “aquecimentistas” estiverem sendo tratados como malucos e inimigos da humanidade, não se tem debate científico, mas patrulha e caça às bruxas. Estamos em plena Idade das Trevas dos iluminados do aquecimento. A canalhice jornalística é tal que omite do leitorado o fato de  o filmeco de Al Gore ter caído no ridículo. Ainda que houvesse um aquecimento provocado pelo homem,  não se informa, por exemplo, que TODAS AS ANTEVISÕES DAQUELE  SÃO FANTASIOSAS

Pesquisem: quase sempre os arautos do apocalipse climático trabalham para alguma ONG que vive de vender esse terror ou para alguma consultoria de grandes empresas. É o caso dos bancos brasileiros: eles ainda não conseguem oferecer juros e spread compatíveis com a civilização, mas reciclam papel que é uma beleza…

Mas, reitero, este assunto já começou a morrer. Copenhague reza a última missa! Ademais, tudo indica, vem um friozinho por aí…

Fonte: Blog Reinaldo Azevedo


TAGS


Galeria de Imagens


Comentários



Agron © 2016
Agronegócios online
Desenvolvido por Agron sob consultoria especializada criodigital | todos os direitos reservados.